quinta-feira, 31 de março de 2016

Elaboração de um Cianotipo














O ficheiro em pdf pode ser descarregado aqui .
A distribuição e impressão  é permitida desde que referida a origem.

O livro  de 1899 ( Ferric & Heliografic Processes) pode ser descarregado aqui.


Tenho cerca de 10 folhas que sensibilizei desta forma guardadas no laboratório. Algumas irei utilizar em experiências das quais darei notícias neste espaço. Outras serão para oferecer a quem demonstrar que as usará em prol da comunidade.


Quem morar na Ilha Terceira pode marcar um café que eu levo uma folha para uma hora de conversa.




segunda-feira, 21 de março de 2016

Formação em Cianotipia



Lanço o desafio a quem pretender aprender-fazendo a técnica chamada de Cianotipia.

Processo antigo, descoberto pelo astrónomo Herschel em 1842, produz, ou permite produzir, belas imagens que aliam técnica a arte.

Folhas, negativos, objectos...tudo pode concorrer para a criação de "fotografias" em azul da Prússia.

Neste workshop, a realizar na data que os inscritos escolherem e no local que preferirem, iremos abordar sucintamente a história da fotografia, criar as emulsões sensíveis, sintetizar os materiais e, com os objectos que trouxermos ou encontrarmos, iremos criar imagens tal como Herschel fez há quase 200 anos.

Todos os participantes levam para casa os originais, e todos os materiais estão incluídos, nomeadamente folhas Canson, Químicos, Trinchas, Pincéis....

Será dado um diploma de participação no final.

Aconselha-se roupa casual.

Será dado um curso a cada duas inscrições, sendo possível apenas e no máximo em cada sessão 4 grupos.

As crianças não pagam desde que acompanhadas de um adulto inscrito.

Famílias que queiram integrar apenas um grupo (produção de uma imagem) pagam apenas uma inscrição. ( Pai, mãe, filhos, avós, netos, podem constituir-se num grupo e apenas pagam uma inscrição).





terça-feira, 27 de outubro de 2015

Nautilus no Museu de Angra do Heroísmo

Ficam aqui as fotografias, obtidas pelo Museu de Angra do Heroísmo, por ocasião do Workshop Nautilus.

Todos os direitos sobre as mesmas pertencem ao Museu de Angra do Heroísmo.


As fotografias obtidas encontram-se na postagem anterior.






Breve apresentação do Workshop.



Transformação das Câmaras Pinhole





Elaboração do Revelador à base de Vitamina C e Carbonato de Sódio






Saída para fotografar e elaboração de um fotograma por escurecimento directo, salvando uma "abertura excessiva" de uma câmara pinhole








Lavagem das fotografias reveladas









 Os olhos....e viva Mozi!

domingo, 25 de outubro de 2015

O Olho de Nautilus 2

video


Partindo de uma caixa vazia podemos construir toda uma história que nos enriquece.

Hoje, tal como noutras tardes peguei nas latas, pós, copos graduados, restos de cola e de cartolina e lá parti para o Museu de Angra para dinamizar um pequeno encontro de jovens e seus pais e educadores à volta do tema do Olho e a Fotografia Pinhole.

Sala composta, gente interessada e que respondia com sincero sorriso ao nosso olhar. Gostei.

Gostei da partilha, do que levei e do muito mais que trouxe.

Este pequeno video é o conteudo integral dos "slides" que me iam orientando.

Sobre o que se fez, podem procurar neste blog sobre fotografia pinhole, lumentype, revelador alternativo.

Hoje alterei um pouco os procedimentos e deixei o caffenol passando a fazer um revelador apenas à base de Vitamina C  (colher e meia de sopa), carbonato de sódio (três colheres) e 1 litro de água. Não porque o caffenol não seja um bom revelador, mas porque assim tenho um revelador alternativo, biologico e transparente que permite uma melhor visulaização do processo por todos.

Obrigado a todos e todas!










segunda-feira, 19 de outubro de 2015

terça-feira, 6 de outubro de 2015

O Olho de Nautilus - Projecto Educativo




A convite do Museu de Angra do Heroísmo, (excelente exemplo de como e porque é que um Museu não deve ser bafiento e repleto de coisas mortas e antigas), irei dinamizar, gratuitamente, mais um workshop de fotografia pinhole.

Mas como o Homem vai crescendo e incorporando em si parte do que o envolve, assim também este projecto recebeu uma nova abordagem da qual nunca tinha pensado.


Esta é a magia da partilha e a certeza de que, quando oferecemos recebemos sempre mais em troca do que pedíssemos.


Assim, daqui em diante e doravante para todo o sempre, os workshops de fotografia pinhole terão (excepto quando a coisa evoluir com futuras aprendizagens), como tema e titulo: 



O Olho de Nautilus - Projecto Educativo.


O Olho de Nautilus porquê? Porque é o fóssil vivo cujo olho é desprovido de íris, cristalino (e outras coisas que se assemelham mais a máquinas fotográficas "normais" com lentes), recorrendo apenas a um furo para ver.



Desta forma, construir máquina pinhole, é recriar o olho do Nautilus e perceber como vê.

Projecto Educativo? - Sim, pretende-se ensinar fotografia ( sensibilidade, abertura, distancia focal, revelador, fixador, tempo, etc) através da comparação entre estas duas realidades e aprofundar os conceitos com a construção e restante prática laboratorial.

Assim, dia 24 de Outubro de 2015, pelas 14h00 lá estaremos no museu de Angra do Heroísmo:



Iniciaremos com visita à exposição " Visões: O Interior do Olho Humano", de seguida conheceremos o Nautilus, o seu olho, percorreremos rapidamente a história da fotografia e partiremos à construção de olhos de Nautilus, fotografia ao ar-livre e revelação das fotografias num laboratório construído com tudo o que temos em casa, desde lâmpadas de segurança baratas, revelador à base de vitamina-C e outros improvisos e imprevistos destas coisas.



mais informações em: http://museu-angra.azores.gov.pt/agenda/2015/agendaMHA-10-2015.pdf



Partiremos à descoberta de uma das mais simples formas de observar e fotografar o mundo e na bagagem apenas levaremos o que os outros deitam fora.




sábado, 1 de agosto de 2015

Re.Act / Praia da Vitória





Em paralelo, ou tangente (mente), ou secante (mente), ou transversal (mente)....(como preferirem) às Festas da Praia da Vitória, iremos ter, nestes dias, um autentico cocktail (escolhi cocktail porque me parece adequado às ditas Festas) de iniciativas organizadas sob a Égide da Associação Geração de Amanhã, que gere o espaço Art Gallery da Re.Act situada na Praça da Praia da Vitória.


Verdadeira lufada de ar fresco!
Estonteante arruaça cultural!
Verdadeira salganhada de iniciativas que nos vão despertar/desafiar os sentidos.






Implantada num edifício destinado e já condenado à demolição, um grupo de aventureiros tem lançado mãos à obra na transformação de velhas paredes num organismo vivo, onde a cultura, o livre-pensamento, o desafio constante à imaginação vivem entre martelos, escadotes, tintas, sempre numa eterna (eterna enquanto dura... como cantou o poeta) renovação ditada pela insatisfação.

Espaço experimental, ensaísta, naife, mas genuíno. 

Espaço decerto mágico pois basta nele entrar para sentirmos que não somos apenas um número, mas seres humanos individuais, com vontade e lugar próprio nesta nossa morada que é o Universo, nesta nossa família que é a Humanidade.





Por isso nestes dias passemos por lá.



mais info em Re.Act




No dia 6 de Agosto, pelas 16h00, o Blog Foto de Cartão promoverá um workshop no Re.Act, em que com uma lata velha, detergente da roupa e café iremos fazer fotografias.

Os materiais estão todos incluídos e a iniciativa é gratuita.

Podemvir todos, incluindo os mais pequenos, desde que acompanhados pelos pais.

A sessão inclui:
A explicação dos princípios elementares e breve história da fotografia
Fotografia na rua com câmaras pinhole ( fotografia sem lentes)
Revelação em laboratório com café e detergente da roupa





sexta-feira, 31 de julho de 2015

Divulgação! Novo Papel!



@ Galaxy Photo Paper - 2015



A Galaxy Photo Paper (aqui), lançou-se num desafio que promete ser útil: A re-criação de um papel fotográfico dotado de uma emulsão com sensibilidade semelhante á do filme (120 ISO), permitindo a sua utilização para fotografia convencional de grande formato ou para pinhole.

Para além disso tratar-se-ia de um papel direto positivo reversível, ou seja, obter-se-á uma imagem positiva directamente, e não um negativo.

É certo que estas características já existiam num papel da KODAK que foi descontinuado em 1970 ( o Kodak Super Speed Direct Positive Paper), mas esta equipa pretende melhorar e re-criar o conceito, conforme nos elucidam no seu site:



  • RC-based (resin-coated) positive reversal photographic paper containing the largest amount of silver in the industry that allows to create distinctive half-tones and rich dark tones.
  •  
  • Very high ISO-speed which corresponds to about 120 film ISO. High speed enables shorter exposures — no more long sitting in front of the camera!
  •  
  • No need for a negative, you can shoot directly on the paper.
  •  
  • Adjusted reversal process. User-friendly.
  •  
  • Fixed grade – contrast.
  •  
  • Glossy Embossed surface.
  •  
  • Will be available in the following sizes: 4×5″, 5×7″, 8×10″, 11×14″, 16×20″.
  •  
  • Custom sizes may be available: 4×10″, 7×17″, 8×20″, 12×20″, 14×17″, 20×24″.
  •  
  • Very dark red light is required due to high speed.



Não uso (não usei nunca)  este tipo de papel, mas reconheço a utilidade de um papel assim, e por vários motivos:

Desde logo porque relança o tópico dos meios analógicos como arte fotográfica, evitando que o desinteresse do mercado leve, em vertigem, ao fim das emulsões fotossensíveis.

Por outro um papel rápido, semelhante ao filme, facilmente manuseável, poderá ter as seguintes vantagens:

Em pinhole:

Redução de 4 a 5 vezes do tempo de exposição, tornando possivel exposições de 6 segundos em dias de sol ( ou menos, dependendo do Fstop)?

Possibilidade de, em ambiente de ensino, explicar mais facilmente, por ser directamente verificável, a obtenção da imagem, não sendo necessário a posterior inversão ou o uso de material informático com vista à inversão da imagem?

 Em Lumentype:

Rápida obtenção do fotograma, com maior escala de tonalidade obtendo directamente um positivo.

Neste aspecto aguardo com curiosidade se, tal como nos papeis "normais" a P&B  iremos obter uma imagem positiva colorida previamente à fixação, tal como se observa aquando do uso dos mesmos, num fenómeno já referido por Talbot?

Em Solargrafia:

Obtenção de imagem mais rapidamente, eventualmente com grande detalhe apenas com um dia de exposição, directamente positiva?


Em Câmaras Fotográficas, imitando o Print-Out-Paper:

Colocando o papel numa máquina fotográfica antiga e deixando o obturador aberto durante um hora, iremos obter uma imagem, revelada sem necessidade de quimicos, positiva e eventualmente colorida a duas cores?



Assim aguardarei o envio das folhas lá para Dezembro deste ano, deixando depois aqui nota dos resultados.


Quanto ao processamento das folhas aguardarei as fórmulas dos químicos que espero serem publicas, suspeitando que serão muito semelhantes às usadas no processamento do Kodak Super Speed Direct Positive Paper, conhecido como D-88.

Contudo irei usar a minha formula especial à base de café (aqui e aqui ), (mas não será suficiente, pois o processo reversível é mais complicado (aqui)).



Assim, sem ganhar nada mais em troca que não seja a alegria pela existência de pessoas que continuam a acreditar na magia foto-grafia, deixo o link para o suporte desta iniciativa, sendo possível, aos mais interessados uma contribuição a partir de 20 Euros que inclui já a aquisição em primeira mão de 25 folhas deste novo papel.



Apoiar o Projecto





domingo, 7 de junho de 2015

+ Jazz #1



De vez em quando, pelas ruas, há pessoas que andam com umas latas e umas caixas a apontar como se quisessem tirar fotografias.




Não lhes liguem.

São diferentes.

Eles não apertam botões como os outros, deixando o mecanismo automático e rápido do obturador electrónico e do processamento digital, fazerem o resto.

Estes não têm máquinas sequer.....apenas umas latas pintadas de preto

Estas latas não têm lentes ....apenas um furo de meio milímetro

Estes furos não têm obturador....apenas um pouco de fita cola preta

Esta fita cola não tem fotómetro associado....apenas o olhar para o céu

A exposição não é feita com um relógio preciso....conta-se alto  mil e muitos....

A focagem é infinita...não se preocupam com o perto e o longe e o dentro e o fora....tudo é uno.

A imagem não fica registada em circuitos integrados....mas em papel feito com prata, sal e gelatina.

Tudo isto não vem montado....o papel é colocado com fita-cola num quarto iluminado a vermelho.

Depois a imagem não aparece num ecrã... tem que ser revelada   e fixada em químicos secretos que a todos se ensina.


E por fim....do muito que se fez...algo ficou.



Por isso quando os virem já sabem quem são.

Obrigado a todos os que participaram no Workshop promovido pelo  Projecto + Jazz.






Aqui está parte do vosso trabalho, feito apenas com uma lata.





+Jazz  - Fotografia Pinhole f181, Papel Brometo - Revelação em Caffenol C



+Jazz  - Fotografia Pinhole f181, Papel Brometo - Revelação em Caffenol C



+Jazz  - Fotografia Pinhole f181, Papel Brometo - Revelação em Caffenol C


+Jazz  - Fotografia Pinhole f181, Papel Brometo - Revelação em Caffenol C



+Jazz  - Fotografia Pinhole f181, Papel Brometo - Revelação em Caffenol C