domingo, 13 de fevereiro de 2011

Escrita de Luz...

Partindo de uma mesa, caótica, repleta de materiais desordenados, sem utilidade aparente...



...iniciámos o nosso caminho pela História da Fotografia. Começámos na Caverna, espreitando o Sol e os seus efeitos miraculosos sobre o mundo que nos rodeia...

...reparámos que no mundo há substâncias que reagem à luz mais rapidamente do que outras. Lemos dos velhos livros as fórmulas dos Alquimistas...e em penumbra trabalhámos os materiais para obter seculares imagens...


...tendo compreendido os princípios do material sensível,  descobrimos o segredo da Câmara Escura e iniciámos a sua construção....
 ...um trabalho colectivo....

com diversos materiais...


 de forma minuciosa...

e atenta...

...e assim, munidos das nossas câmaras, carregadas com material sensível, voltámos para o Sol procurando capturar nas nossas caixas apenas a luz exacta que levada para o Laboratório possa ser Revelada e Fixada, completando o ciclo de fotografia...


...escolhemos ...apontámos...calculámos....abrimos...contámos.....fechámos....


...e já está.


Foi assim em Mértola, durante dois dias, no mês de Fevereiro.
Um pequeno Workshop, (com a participação de 16 entusiastas),  que dinamizei, a convite da Câmara Municipal de Mértola, inserido no programa ART NON STOP.

Foi um conceito diferente do que tenho até hoje.

Em vez de focar apenas nos processos alternativos ou na fotografia pinhole, procurou-se, lançando mão desses conceitos, abarcar toda a história de fotografia...desde o homem que observou que a sua pele mudava de tonalidade com o sol..até às fotografia obtidas pelas mais sofisticadas câmaras digitais.




Explicar que a fotografia nasce do encontro de duas vontades....


Por um lado a vontade que o Homem tem de agarrar o Belo, reproduzi-lo, produzi-lo, guardá-lo, mostrá-lo...por outro a vontade de compreender o mundo que o rodeia e os seus fenómenos, estudando-os, criando máquinas e substâncias que o sirvam e o complementem....


Explicar que a fotografia nasce do encontro de dois objectos:

-A câmara escura e o material sensível.

Conceitos milenares, mas incapazes, até recentemente, de se servirem mutuamente...



E assim foi:

Escrita de Luz...um percurso pela Arte Fotográfica.



Nota: Todas as imagens contidas nesta postagem são propriedade da Câmara Municipal de Mértola e dos seus autores que gentilmente as cederam para a presente publicação. Para reprodução das mesmas contactar a CMM.
Enviar um comentário