quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

O Caminho

Todo o caminho termina onde queremos. E aí dizemos: Consegui chegar ao fim do caminho.

Tal como cantava Vitorino..."Não me pergunto onde vou. Os caminhos nunca acabam", também eu, Aprendiz de Marginal do Sec. XXI, recuso(-me) dar o caminho por terminado.

E assim, percorro ruas, ora estreitas ora Avenidas, sempre com a incerteza do sentido do próximo passo.
E isso é incómodo e incomoda-me.


Seria bem mais fácil parar e gritar do alto de qualquer banco improvisado de Cátedra:
- Aha...cheguei. 

E assim seria reconhecido como pertencendo ao grupo daqueles que chegou a algum lado porque sempre soube para onde queria ir.

Ninguém afirma que desistiram a meio...
Não...chegaram!...e rápido...


Eu não. Prefiro o desconforto do caminho.

E não me importo que me apontem o dedo dizendo...lá vai o louco, que não sabe para onde vai.

Enviar um comentário