quarta-feira, 8 de abril de 2009

A Caixa de Fósforos


Fotografia Estenopeica



Lembro-me de ser pequeno. Numa altura em que o meu maior desejo era ser grande.

Lembro-me do meu pai ter construído um receptor de rádio, a partir de uma caixa de fósforos e que não necessitava de pilhas para funcionar.

Ele bem me explicou que o principio era simples...uma bobine, que captava não-sei o-quê, numa frequência fixa e que se ouvia com uns auscultadores pequeninos.

Lembro-me de ter ficado fascinado. e ter dito que um dia seria inventor como o meu pai.

Mais tarde lembro-me de em determinado carnaval a minha mãe ter inventado um disfarce formidável de princesa para a minha irmã, que mais não era do que uma manta, um ceptro feito com uns enfeites e uma coroa fantástica de papel.

Ela ficou fascinada e nunca mais se esqueceu e desde aí procura o seu castelo para poder vir a ser uma princesa a sério.

Lembro-me de num natal se ter inventado não sei o quê lá em casa, para podermos ter um pequeno presente.

Lembro-me de ter pensado que afinal não era assim tão bom ser grande.


Mas um dia, quando menos esperava...já era grande.


E dei por mim a tirar fotografias com máquinas feitas de caixas de fosforos...




Enviar um comentário