segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Monte Alentejano III

O Vaso.

PT

Eu vou-lhes contar um segredo.

As postagens que aqui vou colocando, com as várias imagens que, na sua maioria, são tiradas com uma simples lata de rebuçados transformada em máquina fotográfica, representam, a forma como eu vejo o mundo.

Num duplo sentido.

Por um lado as imagens são o pretexto para, de uma forma simples, por vezes velada, transmitir aquilo que considero justo, verdadeiro ou simplesmente mais correcto.

Através da contemplação, o símbolo-imagem, surge como um veiculo para a re-ligação com o abstrato, com o inatingível, com o absurdo, com o principio, etc, etc .

É isso que pretendo. Provocar a contemplação, utilizando imagens difusas, mais propicias à liberdade de interpretação dos visitantes deste blog.

Esse é um dos segredos.

O outro é que as imagens estenopeicas, obtidas sem recurso a sistemas ópticos, são desfocadas por natureza.
Ora eu, com as minhas 4 dioptrias vejo o mundo exactamente assim, quando tiro os óculos:

-Desfocado.

Assim, este Blog nada mais é do que a imagem que tenho do mundo. Nas sua formas visível e inteligivel.

Guardem por favor este segredo.

E já agora, perguntam alguns...o que é que o vaso tem a ver com esta conversa?

Contemplem..

ENG

I will tell you a secret.

The posts that I put here, with various images ( the majority of them are taken with a simple tin of sweets turned into a camera), represent the way I see the world.

In a double sense.

On the one hand images are the pretext for, in a simple, sometimes hidden way, transmit what i consider fair, true or simply more accurate.

Through contemplation, the symbol-image, emerges as a vehicle to re-connect (re-ligare) with the abstract, with the unattainable, with the absurd, with the principle, etc., etc..

That is what i want. Lead to contemplation, using images diffuse, more favorable to the freedom of interpretation for the visitors of this blog.

This is one of the secrets.

The other is that the pinhole images , obtained without use of optical systems, are blurred by nature.
But I, with my 4 diopters see the world exactly how, when i take off the glasses:

-Blurred.

So this blog is nothing more than the image I have of the world. In its visible forms and intelligible.

Please keep this secret.

So, some ask ... what the vase relates to this conversation?

Behold ...i say, behold.

Enviar um comentário