quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Fotografia pinhole revelada em Caffenol por Pedro Horta


Parei, no final da tarde, numa esplanada em Caldas de Reis, junto ao Albergue que me acolheu por essa noite.
No dia seguinte partiria para Padron, última etapa do caminho de Santiago.

Pedi uma cola, depois de ter hesitado comprar um pacote de tabaco. Há quase dois anos que não fumava, mas estava mesmo a apetecer.

Já me preparava para ir deitar, (pois tinha de me levantar no dia seguinte às 4 da manhã para percorrer mais 20km) quando, pela primeira vez no caminho, conseguira ter um momento propicio à contemplação e à reflexão.
Estar sozinho, com o corpo cansado, a 800km de casa, nada mais tendo  do que um bastão de caminheiro, a roupa do corpo e uma lata de salada de atum, propicia a reflexão sobre a nossa própria existência.

Não obtive a resposta às três eternas perguntas, mas percebi que cada ser humano é único, partilhando com resto do Universo a mesma natureza.

Que todos somos apenas um, nas suas várias manifestações.


Bebi a cola e fui dormir.
Enviar um comentário