quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Os caminhos


Fotografia Estenopeica, sobre filme colorido, f210 @ 2 segs


Gosto de caminhar. Pelo prazer que tal me dá.
Meter-me adentro das serras, com boa companhia, com boa conversa, com uma mochila cheia de petiscos e águas e sacos para guardar ervas e plantas que encontro.

Gosto.  E não consigo explicar esta necessidade. De quando em vez, quando as folgas permitem, lá me aventuro com os amigos e cúmplices do costume.


No entanto, de há uns meses para trás que sinto como que uma vertigem por tudo o que diga respeito ao Caminho de Santiago.

Aventurar-me-ia já hoje, se tal fosse possível,  para uma viagem de 30 dias com boa companhia, com boa conversa, com uma mochila cheia de petiscos e águas e sacos para guardar ervas e plantas que encontrasse pelo caminho.

Sinto. E nem sequer sou Católico. Nem Cristão. Nem nada.

Mas sinto a necessidade de o percorrer.
Não sei se pelo percurso.
Não sei se pelo destino.



Não sei. Simplesmente não sei.

Os caminhos e as vontades têm destas coisas.


Enviar um comentário