sexta-feira, 5 de junho de 2009

Almofariz

Fotografia Pedro Horta


O Almofariz também é chamado de Gral ou Morteiro.

Etimologicamente provem do árabe al-miharãs.



Está tudo muito bem...mas o certo é que mesmo com óculos não consegui ler as letras do meu dicionário Houaiss, tentando perceber se o h era h ou b. Presumo que seja h.

Assim já não apetece falar de retortas de alquimistas, da cultura árabe, nem de nada.

Vou apenas dormir. Estou amuado.

Dia seguinte às 11h45 - Ainda continuo apreensivo por ter apenas 32 anos e já não conseguir ler as letras pequeninas. O que virá seguir?
Mas volto para deixar uns pequenos apontamentos:

O almofariz, ou gral, é um utensilio, para além de útil para esmagar os alhos, coentros e azeite para as nossas açorditas, carregado de um enorme simbolismo.

Chama-se Gral, e é utilizado para, pela acção do pilão ( elemento masculino) proceder à transmutação ( acto criador) de materiais, dentro do vaso ( elemento feminino).

Os alquimistas usam-no para macerar, acção necessária à obtenção da pedra oculta, necessária à fases subsequentes da obra ( obtém-se o sal, o mercúrio e o enxofre).

Arimateia recolheu no gral ( almofariz) o sangue de Cristo...

etc, etc.

O almofariz representa assim a união do masculino e do feminino, o vaso assume-se como utero e o pilão como...pilão, é o arquétipo da criação.


Agora já posso ir descansado. Para a semana mudo de óculos. Se calhar faço uns estenopeicos...fica mais barato e é mais extravagante.
Enviar um comentário